Recentemente em uma pesquisa realizada nas empresas, sobre adoção do Windows 10, demonstrou que ainda não está claro se esse sistema operacional terá um enorme sucesso e se será amplamente adotado pelas organizações.

Nessa pesquisa,  onde foram entrevistados 1.826 profissionais da área de TI sobre uma ampla gama de assuntos, como adoção do Windows 10, planos futuros, experiências, preocupações e muito mais, quase todo mundo tem Windows 10, mas apenas alguns estão em produção.

A grande maioria dos entrevistados (91%) possui o Windows 10 instalado, embora lançado em 2015; apenas um terço dos entrevistados (34%) diz que possui o Windows 10 na produção.
A maioria ainda está em processo de implantação completa do Windows 10, sendo 17% apenas no estágio piloto, 23% usando ativamente em TI, para obter maior experiência antes de expor seus usuários finais e 17% utilizando apenas em um ambiente de laboratório controlado.

Embora seja muito cedo para chamar o Windows 10 de sucesso, há sinais claros de que a adoção está acelerando rapidamente. Uma pesquisa semelhante foi realizada com esta mesma audiência no final de 2015, fazendo a mesma pergunta. Enormes ganhos foram feitos na adoção do Windows 10 em pouco mais de um ano.  Não havia empresas que estivessem totalmente produzindo com o Windows 10 em 2015, portanto, ver esse aumento de número para 10%, em 2017, é notável. Na outra extremidade, 41% não tinham o Windows 10 instalado em qualquer lugar em sua empresa em 2015, e houve uma queda para apenas 9%.

A grande maioria das organizações de TI (86%) relatam que eles têm planos de migrar completamente para o Windows 10, embora apenas 5% já tenham concluído esse passo.  De 3 em cada 4 (72%) planejam migrar completamente nos próximos dois anos, sendo que 35% migrarão no próximo ano e 37% planejam migrar no ano seguinte. Adicionando esse percentuais aos 5% que já estão totalmente migrados, podemos esperar que 77% estejam totalmente migrados no início de 2019.

Mas porque esse numero pequeno de empresas possuem Windows 10 em produção?

Antes de qualquer migração significativa, é importante entender o que pode dar errado. A maioria dos profissionais de TI (87%) relatam preocupações com os principais problemas, incluindo compatibilidade de aplicativos (65%) e necessidade de treinamento do usuário (43%). Outras preocupações variaram de esforços manuais necessários para migrar, custos, segurança e desempenho.

Muitos participantes tomaram o tempo para escrever em “Outros” preocupações que incluem atualizações de driver de impressora, compatibilidade com periféricos, gerenciamento de configuração e consistência de implementação, controle de correção, perda de controle de configurações de segurança, muita informação passageira para a Microsoft e administração.

Todas as preocupações relatadas tornam-se mais agudas à medida que os tamanhos das empresas aumentam.  Por exemplo, mais de 2 em cada 3 (69%) preocupam-se com a compatibilidade de aplicativos com o Windows 10 em empresas com mais de 5.000 funcionários, em comparação para apenas um pouco mais da metade (56%) em empresas com menos de 500 funcionários.

A maioria (85%) das organizações, que começaram a sua migração, enfrentaram problemas que vão desde a compatibilidade de aplicativos e a falta de suporte de fornecedores, até problemas de hardware, dificuldades em migrar arquivos pessoais, problemas relacionados a filiais e muito mais.

A Microsoft fez mudanças significativas no sistema operacional, oferecendo flexibilidade para as empresas na adoção, com ferramentas que facilitam a migração e possibilidade de upgrade da sua licença Windows 7, 8 e 8.1, de forma gratuita.

A TI aprendeu bem essa lição ao longo dos anos e a maioria (83%), tem um plano, de migrar a personalização do usuário quando eles se mudam para o Windows 10.

Os detalhes específicos da migração de informações pessoais variam. Os tipos mais comunsde personalização para migrar são informações de perfil de usuário (63%), atribuições de impressora (49%), conexões de servidor de arquivos (43%) e letras de condução (42%).

Há também organizações que moverão arquivos, até mesmo não gerenciados ou descentralizados, pastas, configurações regionais, credenciais em cache e até fotos e música.

Uma migração para um novo sistema operacional pede um momento para reavaliar abordagens como a personalização da área de trabalho, gerenciamento de desktop, segurança, conformidade e regulamentação de outras políticas que afetam o usuário.

A maioria das equipes de TI (86%) planeja implementar recursos de gerenciamento de desktop, que incluem uma ampla gama de funcionalidades, como a remoção de direitos administrativos (41%), tempos de logon mais rápidos (38%), migração de dados do usuário de forma transparente (33%) e muito mais.

A contratação de uma consultoria especializada e com experiência na migração para o Windows 10 pode trazer diversos benefícios como:

  • Implantação de diversas funcionalidades nativas;
  • Menor tempo de rollout;
  • Rollout com menor impacto aos colaboradores;
  • Imagem mais segura e estável, somente com o necessário instalado;
  • Melhor performance para a estação de trabalho;
  • Integração com aplicativos e mais produtividade;
  • Controle do licenciamento;
  • Redução de custos evitando duplicidade de funções;
  • Comunicação, utilizando tela de logon e papel de parede;

Vale lembrar que, ter um build de Windows 10 com as características da empresa, traz uma nova imagem à TI, uma boa comunicação durante a mudança, no sentido de orientar os colaboradores e dar um canal diferenciado para atendimento aos usuários testes garantem o sucesso do projeto.

Autor: Paulo Nobile (oespecialista@biti9.azurewebsites.net.br)